Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

Agenda

13 de Novembro de 2017

Em 27 anos, 108 mil morreram em Cuiabá enquanto 223 mil nasceram

Fonte: RD News

Nos últimos 27 anos nasceram em Cuiabá 331,6 mil pessoas, sendo que outras 108 mil vieram a óbito no mesmo período na cidade. A comparação mostra que para cada pessoa que morreu durante esses anos, aproximadamente outras três nasceram. Os dados fazem parte de um raio-x feito pelo RD News da vida e morte na Capital.


O período com mais mortes em Cuiabá foi 2015, quando 5,4 mil pessoas morreram, enquanto nasceram 16,8 mil, conforme o levantamento

A reportagem utilizou dados do Perfil Socioeconômico de Cuiabá Volume IV e da Vigilância Municipal de Nascimentos e Óbitos. A contabilização de pessoas nascidas em Cuiabá integra os filhos de pais residentes no município e o de pessoas de outros locais. Neste montante estão mulheres de Várzea Grande, ou outra cidade próxima, que se deslocam até a Capital para ter o bebê e turistas femininas que estão grávidas cujos filhos acabam nascendo na passagem por aqui, por exemplo.
Na média, entre 1991 e setembro deste ano, nasceram em Cuiabá uma média de 12,2 mil pessoas por ano, o que representou aproximadamente 1 mil nascimentos por mês e 33 nascimentos por dia, considerando um ano não bissexto.
De acordo com os dados, também é possível avaliar que a natalidade apresentou aumento em Cuiabá após o início do segundo milênio. Entre 1991 e 1999 foram concebidas 88,1 mil crianças, sendo que entre 2000 e 2009 esse número chegou a 119,4 mil.
Apesar da diferença de nascimentos entre os dois períodos, a população cuiabana cresceu mais na década de 90 dos que anos 2000. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população total da cidade em 1991 era de 402.813 pessoas, sendo que no ano 2000 saltou para 483.346 moradores, o que representou uma taxa de crescimento de 2%.
Já em 2010 a cidade chegou aos 551.098 habitantes, o que demonstra que a taxa de crescimento nos primeiros 10 anos do século XX foi de 1,3%, 0,7 pontos percentuais menor do que no período anterior. É importante lembrar que esses cálculos não incluem somente os nascimentos, mas principalmente os “paus rodados” que escolheram a Capital para viver. Atualmente a população cuiabana chega a 590.118 moradores.

Sexo

Nos dados disponibilizados pela Vigilância Municipal de Nascimentos e Óbitos, que contemplam os anos de 2006 a setembro deste ano, é possível analisar a concepção das crianças por sexo. Neste período, o nascimento de bebês homens foi 5% maior do que o nascimento de mulheres.
No total, foram 91 mil homens nascidos e 86,6 mil mulheres. Durante esse tempo ainda nasceram 24 crianças com o sexo ignorado, que são aquelas que apresentaram má formação nos órgãos genitais, impossibilitando a identificação do gênero.

Óbitos

Em relação aos óbitos, contando desde os casos de mortes naturais até as violentas, os dados mostram que aproximadamente 4 mil pessoas morreram por ano, em Cuiabá, entre janeiro de 1991 e setembro.
O período com mais mortes nesta faixa de tempo foi 2015, quando 5,4 mil pessoas faleceram na Capital. Coincidentemente ou não, esse também foi o ano em que mais pessoas nasceram, com 16,8 mil concepções.
Na análise dos números, é possível perceber que o número de falecimentos, assim como o de nascimentos, aumentou na primeira década do século XXI na comparação com os últimos 10 anos do século XX.
Entre 1991 e 1999, foram 23,2 mil mortes registradas em Cuiabá, sendo que entre 2000 e 2009 esse número saltou para 44,4 mil. Entre 2010 e 2017, na não terminada segunda década do atual século, os óbitos já chegam a 40,2 mil na cidade. Uma das explicações do fato é justamente o aumento da população cuiabana.
Fonte: RD News

Confira Também