Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

16 de Julho de 2020

Colunista do UOL destaca dados de óbitos disponíveis no Portal da Transparência

Fonte: Assessoria de Imprensa

Matéria publicada nesta quinta-feira (16) pelo colunista Diogo Schelp, do UOL, destacou o aumento de 9,7% nos registros de óbitos realizados no primeiro semestre de 2020, com relação ao mesmo período de 2019. Os dados foram consultados no Portal da Transparência do Registro Civil.

Clique aqui para ler a reportagem no site do UOL.

 

Óbitos no Brasil aumentaram 9,7% no 1º semestre de 2020 em relação a 2019

A pandemia do novo coronavírus está tendo um impacto inequívoco nas estatísticas de mortes no Brasil. No primeiro semestre deste ano, foram registrados 667.258 óbitos nos cartórios brasileiros, compreendendo todos os tipos de causas naturais e externas. Em comparação, no primeiro semestre de 2019 ocorreram 608.265 óbitos. Ou seja, nos primeiros seis meses de 2020 houve um aumento de 9,7% no total de mortes em comparação com o mesmo período do ano passado.

Em números absolutos, foram registradas 58.993 mais mortes em 2020 do que na primeira metade de 2019. No mesmo período de 2020, os cartórios registraram 62.074 óbitos confirmados ou com suspeita de covid-19 — uma causa de morte que, evidentemente, não existia em 2019.

As causas naturais, nas quais os óbitos por covid-19 se incluem, aumentaram 10,3%. Já as mortes violentas (homicídios, acidentes de trânsito, entre outras causas externas) tiveram um aumento de apenas 1,6%. Foram registradas 43.360 mortes violentas no primeiro semestre de 2020 e 42.672 no mesmo período de 2019, um incremento de 688 óbitos.

Ou seja, o aumento no total de mortes de um ano para o outro se explica quase inteiramente por um fator antes inexistente entre as causas naturais: a pandemia do novo coronavírus.

Os dados, disponíveis no Portal da Transparência de Registro Civil, derrubam a tese, alardeada nas redes sociais para minimizar a tragédia humana causada pela covid-19, de que as mortes pela doença foram compensadas por uma redução nas mortes violentas. Isso não aconteceu.

"Os números não permitem outra interpretação: a covid-19 é o principal fator responsável pelo crescimento no total de óbitos no primeiro semestre deste ano em relação ao de 2019", diz Luís Carlos Vendramin Júnior, vice-presidente da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), entidade responsável por compilar os dados.


Fonte: Assessoria de Imprensa

Confira Também