Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

01 de Fevereiro de 2021

Clipping – Jornal de Itatiba – Mortes em domicílio aumentam 15% em 2020

Fonte: Jornal de Itatiba

Em 2020, mais de 770 óbitos foram registrados em Itatiba

A covid-19 transformou 2020 no ano mais mortal da história da cidade de Itatiba.  Desde 1999, início das Estáticas Vitais de Óbitos do Registro Civil, nunca morreram tantos moradores do município, e nem houve uma variação de óbitos tão grande, em comparação entre 2019 e 2020.

Segundo o Portal de Transparência, plataforma administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), os óbitos registrados pelos cartórios de Itatiba no ano passado totalizam 778, 12,1% a mais que no ano anterior, superando a média histórica de variação anual de mortes no município que era, até 2019, de 2,7% ao ano.

Reflexo da pandemia

A pandemia trouxe também reflexo em outras doenças, que registraram aumento considerável na variação entre 2019 e 2020. Foi o caso de mortes causadas por doenças respiratórias, que cresceram 4,4% na comparação entre os anos, passando de 292 para 305. A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que não teve nenhum registro em 2019, teve quatro em 2020.

As doenças cardíacas, muitas vezes relacionadas ao coronavírus, tiveram um aumento de 10,7%, passando de 187 para 207. As mortes por causas cardiovasculares inespecíficas cresceram 46,6% entre os anos, sendo que o aumento dos óbitos em domicílio é uma das explicações do diagnóstico.

No estado de São Paulo, as doenças respiratórias cresceram 27,5% no mesmo período comparativo. SRAG registrou um aumento de 723% e as causas indeterminadas, 26,7%.

Aumento de mortes em casa

O receio de frequentar hospitais para tratamento de rotina durante a pandemia, bem como a falta de leitos, fez com que o número de mortes em domicilio disparasse em Itatiba. Em comparação com 2019, o ano passado registrou um aumento de 15,7%.     As mortes por septicemia, respostas exageradas a infecções do corpo, cresceram 200% no município. Dois moradores morreram em suas casas com covid-19, segundo a Arpen.

Os óbitos por causas cardiovasculares fora de hospitais também dispararam em 2020, registrando 41,6% de aumento.

Números ainda maiores

Os prazos para os óbitos serem registrados no Cartório de Registro Civil podem fazer esse número crescer ainda mais. Isso porque a Lei Federal prevê um prazo para registro de 24 horas do falecimento, que pode ser estendido até 15 dias em alguns casos, e, por conta da pandemia, alguns estados expandiram ainda mais este prazo.

Morungaba

Morungaba registrou, de acordo com dados do Cartório de Registro, 95 óbitos em 2020.


Fonte: Jornal de Itatiba

Confira Também