Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

18 de Fevereiro de 2021

Clipping – ABC Repórter - COVID-19 atinge natalidade e Cartórios de São Bernardo do Campo registram o menor número de nascimentos em janeiro

Fonte: ABC Repórter

Nove meses após o primeiro mês com a pandemia instalada no Brasil, casais optam por não ter filhos e número de registros de nascimentos atinge o menor patamar, em relação à 2020

A pandemia do novo coronavírus não só deixou um rastro de mais de 1,8 mil mortos entre a população são-bernardense, como também começa a causar impactos futuros, atingindo as taxas de natalidade de São Bernardo do Campo.

De acordo com, levantamento da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP), com base nos registros de nascimentos realizados nos três Cartórios de Registro Civil existentes no município, mostra uma queda de 16,14% nos nascimentos em janeiro de 2021, primeiro mês após o período normal de gestação, desde a chegada da COVID-19 no Brasil, em que os casais optaram por ter filhos ou não, já com a crise sanitária instalada no País.

Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil (https://transparencia.registrocivil.org.br/inicio), repositório de estatísticas dos atos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil). Em janeiro deste ano,  realizados 894 nascimentos, número 16,14% menor do que o registrado em janeiro do ano passado, quando houve 1.066 registros.

A variação é ainda 17 pontos percentuais menor que a média municipal do mês de janeiro desde 2004, que é de 1,36% ao ano, número que se repete quando se olha o período anual.

No estado de São Paulo, os números de nascimentos em janeiro também tiveram queda, realizados 45.222 nascimentos, número 15,7% menor que o registrado em janeiro do ano passado, quando houve 53.690 registros. A variação é ainda quase 16 pontos percentuais menor que a média histórica estadual do mês de janeiro desde 2002, que é de 0% ao ano, número que se repete quando se olha o período anual.

O número de nascimentos registrados em 2021 ainda pode vir a aumentar, assim como a variação da média anual, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o nascimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência. Além disso, alguns estados brasileiros expandiram o prazo legal para comunicação de registros em razão da situação de emergência causada pela COVID-19.


Fonte: ABC Repórter

Confira Também