Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

18 de Julho de 2018

Clipping – Via Agora (PI) - DP faz parceria para alteração de nome de LGBTs no Registro Civil

Grupo Matizes propôs que a Defensoria participasse em um Esforço Concentrado no sentido de proporcionar a mudança de nome no registro civil de travestis e transexuais.

Reuniram-se na última sexta-feira (13), a defensora pública geral do Estado do Piauí, Francisca Hildeth Leal Evangelista Nunes e a chefe de gabinete da Defensoria Pública, Patrícia Ferreira Monte Feitosa, juntamente com a coordenadora do Grupo Matizes e presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Marinalva Santana, em oportunidade para tratar sobre parceria para ações de cidadania durante a 14ª Semana do Orgulho de Ser, que será realizada de 22 a 29 de agosto desse ano.

Marinalva Santana propôs que a Defensoria participasse em um Esforço Concentrado no sentido de proporcionar a mudança de nome no registro civil de travestis e transexuais, buscando evitar transtornos causados por questões de gênero, assegurando a dignidade humana para essa parcela da população. A ação proposta deverá se desenvolver até a realização da Semana do Orgulho de Ser, quando será feita a entrega da documentação.

A Defensoria Pública sempre foi uma parceira importantíssima da cidadania de um modo geral e especialmente do Grupo Matizes. Os pleitos que fazemos sempre são bem vistos e acolhidos e reconhecemos na Defensoria uma Instituição Pública importante para assegurar a cidadania LGBT em nosso estado, por isso estamos aqui. Por acreditar no potencial e compromisso da Defensoria Pública na construção da cidadania LGBT”, disse Marinalva Santana.

A defensora pública geral, Hildeth Evangelista, disse que a Defensoria tem sempre buscado atuar nas causas das pessoas LGBT. “A Defensoria está sempre na busca para promover os Direitos Humanos e fazer valer as garantias dessa parcela da população, formada em grande parte por pessoas vulneráveis. Já este ano estivemos reunidos, juntamente com o Grupo Matizes e vários representantes de entidades LGBT, com o corregedor-geral de Justiça, desembargador Ricardo Gentil Eulálio, para discussão de pautas sobre cidadania de pessoas trans”, afirmou Hildeth Evangelista.


Fonte: Via Agora (PI)

Confira Também