Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

12/04/2021 – G1 – Diferença entre nascidos e mortos no Paraná atinge menor patamar da série histórica em março

Estado registrou 12.957 nascimentos e 11.724 óbitos no mês, conforme dados da Transparência do Registro Civil. Redução da diferença acelerou durante a pandemia do novo coronavírus.

A diferença entre os registros de nascimentos e mortes no Paraná em março deste ano atingiu o menor patamar da série histórica iniciada em 2003, de acordo com dados da Transparência do Registro Civil, que reúne dados de cartórios.

No mês passado, foram registrados 12.957 nascimentos e 11.724 óbitos no estado. A diferença de 1.233 representa 11%. Em março de 2020, quando começou a pandemia da Covid-19, a diferença estava em 6.218.

Março deste ano foi o mês com média diária de mortes por Covid-19 mais alta desde o início da pandemia, conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). No total, foram registrados 5.002 óbitos pela doença entre 1º e 31 de março de 2021.

Nascimentos e mortes no Paraná durante a pandemia

Mês

Nascimentos

Mortes

Março de 2020

12260

6042

Abril de 2020

13412

5900

Maio de 2020

12896

5713

Junho de 2020

12522

6611

Julho de 2020

12317

7331

Agosto de 2020

11401

7438

Setembro de 2020

12101

7110

Outubro de 2020

11042

6746

Novembro de 2020

11088

6616

Dezembro de 2020

11460

7691

Janeiro de 2021

12498

7540

Fevereiro de 2021

11484

7053

Março de 2021

12957

11724

Total

157438

93515

 

Na avaliação do Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná (Irpen-PR), a diferença entre nascimentos e mortes estava em queda ao longo do tempo, mas acelerou vertiginosamente com a pandemia.

Em 2003, a diferença era de mais de 170%, baixando para 140% na década de 2010 e abrindo 2020 com diferença na casa dos 120%. Com o início da pandemia, baixou para 103% em março, caindo 49% em dezembro e agora chegando à menor diferença já registrada, 11%.

“Para se ter uma ideia, no cartório onde atuo fazíamos em média três, quatro óbitos no mês, enquanto que neste mês fiz mais de 30 registros de óbitos”, disse a presidente Irpen-PR, Elizabete Regina Vedovatto, que é registrado em Colombo, na Região de Curitiba.

Fonte: G1