Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

“Acreditamos que com o diálogo podemos construir um caminho com resultados positivos”, assegura presidente eleita da Arpen/RJ

Alessandra Lapoente, registradora no 2º Registro Civil de Pessoas Naturais da Capital, eleita para presidir a Associação de Registradores de Pessoas Naturais do estado do Rio de Janeiro (Arpen/RJ) pelo biênio 2022-2024, está otimista com a gestão. Ela confia que o diálogo com os poderes Executivo e Judiciário será essencial para colher frutos positivos.

 

“Nossa expectativa para o próximo biênio é bem positiva. Sabemos que não será tranquilo, pois teremos muitas mudanças no Poder Executivo e no Poder Judiciário. Contudo acreditamos que com o diálogo podemos construir um caminho com resultados positivos tanto para os registradores civis quanto para a sociedade”, afirma Alessandra em entrevista para a Arpen-Brasil.

 

A registradora civil foi eleita presidente em Assembleia Geral realizada no dia 13 de julho. Também fazem parte da nova gestão Marilis Santiago Brum Marques, vice-presidente Administrativo; Eduardo Ramos Corrêa Luiz, vice-presidente Financeiro; Carolina Cruz Teixeira Carmo, vice-presidente de Política Social; Raquel Vieira Abrão Rezende, vice-presidente de Tecnologia da Informação; Carla Maria Caldas Figueiredo, Secretária-Geral; e Luiz Manoel Carvalho dos Santos, Diretor Tesoureiro.

 

“Ao escolher por aclamação a atual diretoria, que é composta de registradores de vários pontos do Estado e conhecedores das mais diversas regiões e suas peculiaridades, os registradores o fizeram com a certeza de que somos uma equipe de guerreiros, que de forma incansável luta dia e noite pelo melhor para todos”, enfatiza a presidente.

 

De acordo com Lapoente, a Arpen/RJ é essencial para defender os interesses dos registradores civis do estado. Ela relembra que a associação sempre lutou frente as injustiças contra a classe.

 

“Há muitos anos a Arpen/RJ combate as injustiças praticadas contra os registradores civis e auxilia na efetividade da prestação de um serviço eficiente, dando suporte aos registradores civis do estado de forma técnica e intercedendo quando necessário junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário na garantia de direitos e na busca do melhor interesse da classe”.

 

 

Confira a entrevista na íntegra:

 

Arpen-Brasil – Como presidente eleita da Arpen/RJ, qual a sua expectativa para o próximo biênio?  

 

Alessandra Lapoente – Nossa expectativa para o próximo biênio é bem positiva. Sabemos que não será tranquilo, pois teremos muitas mudanças no Poder Executivo e no Poder Judiciário.  Estamos próximos ao período de eleição no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e toda mudança nos traz insegurança. Contudo acreditamos que com o diálogo podemos construir um caminho com resultados positivos tanto para os registradores civis quanto para a sociedade.

 

Arpen-Brasil – Quais os maiores desafios a serem enfrentados e quais são as metas para o próximo biênio?

 

Alessandra Lapoente – Sempre o nosso maior desafio é a luta pela sustentabilidade do registro civil.  Em que pese as recentes mudanças aprovadas pela Alerj no que se refere ao FUNARPEN (que é um fundo de compensação dos atos praticados gratuitamente no Registro Civil) ainda temos muita preocupação quanto a implementação.  Desde 2016 os registradores sofrem com a não compensação integral pelos atos que praticam. Isso é uma angústia muito grande para toda a classe.

 

Arpen-Brasil – Qual a importância de ter uma associação que represente a classe no estado? O que a classe registral pode esperar da Arpen/RJ?

 

Alessandra Lapoente – A Associação é fundamental para a defesa do interesse da classe, são muitas frentes de atuação e muitas demandas. Há muitos anos a Arpen/RJ combate as injustiças praticadas contra os registradores civis e auxilia na efetividade da prestação de um serviço eficiente, dando suporte aos registradores civis do estado de forma técnica e intercedendo quando necessário junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário na garantia de direitos e na busca do melhor interesse da classe.

 

Arpen-Brasil – De que forma a Arpen/RJ pode contribuir para a vida dos cidadãos? 

 

Alessandra Lapoente – No seu papel social, a Arpen sempre atuou em prol dos mais necessitados, se mobilizando não só nos momentos de calamidade pública, desastres naturais, incêndios, como também junto a diversos órgãos de assistência social para garantir aos mais necessitados o acesso a cidadania.

 

Arpen-Brasil – Como se deu a composição dos membros da diretoria?

 

Alessandra Lapoente – Ao escolher por aclamação a atual diretoria, que é composta de registradores de vários pontos do estado e conhecedores das mais diversas regiões e suas peculiaridades, os registradores o fizeram com a certeza de que somos uma equipe de guerreiros, que de forma incansável luta dia e noite pelo melhor para todos. Jamais visamos interesse ou favorecimento pessoal e com isso conquistamos a confiança dos colegas que nos delegaram esse encargo de representá-los durante o próximo biênio.

 

Fonte: Assessoria de comunicação – Arpen-Brasil