Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Arpen-Brasil, CNMP e UNICEF lançam cartilha sobre vacinação com distribuição em cartórios de todo o país

A iniciativa visa à retomada de índices seguros de vacinação em todo o Brasil. O projeto piloto terá início no Distrito Federal.

 

Nesta terça-feira (25), foi lançada a parceria entre a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para a criação de uma cartilha sobre a importância da vacinação. A cartilha será distribuída gratuitamente aos pais no momento do registro de nascimento da criança em cartórios de todo o país, com o projeto piloto tendo início no Distrito Federal.

 

A iniciativa, liderada pela Comissão de Saúde do CNMP, visa à retomada de índices seguros de vacinação em todo o Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal no país vem declinando desde 2015, colocando o Brasil em risco de reintrodução de doenças como sarampo e poliomielite.

 

“O lançamento do Pacto Nacional da Consciência Vacinal é um marco importante. O registrador civil agora integra efetivamente esse trabalho, difundindo a informação correta sobre a vacinação no momento crucial do registro de nascimento da criança, um dos momentos de maior responsabilidade para os pais”, afirmou Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil.

 

Para Luciana Phebo, chefe da área de saúde e inovação do UNICEF, a parceria é estratégica, visto que quase todas as crianças brasileiras têm registro civil e recebem uma certidão de nascimento. “Desde 2015, as coberturas vacinais vêm declinando significativamente, colocando o país em risco de reintrodução de doenças que afetam e até matam crianças. Embora as coberturas vacinais estejam melhorando, ainda há mais de 152 mil crianças que não tomaram nenhuma dose da vacina contra a poliomielite”, analisou.

 

“O apoio dos registradores civis é fundamental, pois os cartórios são ofícios da cidadania, cuidando dos registros de nascimento, casamento e óbito, sendo uma parte essencial da vida de uma pessoa”, declarou Jayme de Oliveira, presidente da Comissão de Saúde do CNMP.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Arpen-Brasil