Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Arpen-Brasil lança a Identidade Digital do Registro Civil durante audiência pública do Serp

Após três anos de pesquisa e trabalho, a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) apresentou o modelo de Identidade Digital do Registro Civil (IdRC), elaborado em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), durante a audiência pública sobre o Sistema Eletrônico dos Registros Públicos (Serp) no plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília, na manhã desta terça-feira (31.01).

 

O secretário-nacional da Arpen-Brasil, Luis Carlos Vendramin Júnior, também representando a Arpen/SP, foi o responsável por anunciar a IdRC. O projeto foi inspirado em modelos em uso em países da Europa e Ásia, que já contam com identidades eletrônicas em uso. Em sua fala, Vendramin enfatizou a importância da identidade digital para o registro civil e a população, tendo em vista que muitos serviços do registro civil já são feitos de forma digital.

 

“A identidade do registro civil é muito natural porque ela é uma fonte originária dos dados biográficos do cidadão. Qualquer documento, desde um RG ou CNH, ele é derivado do registro de nascimento. E isso é extremamente importante no nosso dia a dia para poder avançar nos acessos e disponibilização dos serviços eletrônicos. A base do IdRC são os campos primários do cidadão”, afirmou.

 

A identidade digital, segundo o secretário-nacional, envolve toda a atividade de cada indivíduo na vida e na internet, criando uma representação única de cada pessoa. Isso vai além de informações cadastrais, como e-mail e senha, por exemplo. Documentos formais ou informais, recibos, contratos, dados biométricos e históricos também podem complementar a identificação.

 

“Hoje é muito dinâmica a questão da identificação dos dados biográficos do cidadão”, completou o secretário nacional.

 

Com a IdRC, o usuário ainda tem a possibilidade de utilizar em qualquer situação, para além dos serviços eletrônicos ofertados pelos cartórios de registro civil, como hospitais, sistemas do governo, agronegócio, bancos, e até mesmo em lojas online. Para isso, serão implantados vários níveis de segurança que são exigidos para cada tipo de ato, sempre de forma inclusiva, segundo Vendramin.

 

“Não é porque eu não tenho um celular que não vou conseguir acessar, não é porque não tenho um certificado digital não vou conseguir acessar. Vai ter biometria, vai ter SMS, e-mail, vários fatores de autenticação que possam graduar a questão da identidade”, explicou.

 

Ele ainda ressaltou quem um dos principais pontos revolucionários da IdRC é o gerador de eventos. A partir disso, sempre que houver uma mudança na vida biográfica do usuário, como casamento ou alteração de nome, automaticamente será gerado um evento dentro do sistema. Tal ferramenta proporcionará maior agilidade para o registrador civil em seu dia a dia.

 

“A vida é muito dinâmica. A sociedade está muito viva na questão dos seus direitos quanto ao nome, quanto à personalidade”, afirmou Vendramin.

 

Ao final, o secretário nacional da Arpen-Brasil exibiu um vídeo apresentando a IdRC, seus serviços e benefícios para os usuários.

 

Confira!