Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Arpen/RS – “O Registro Civil garante a história de vida da pessoa, sendo de extrema relevância para a sociedade”

Vice-presidente da Famurs, Fábia de Almeida Richter, concedeu entrevista especial à Arpen/RS sobre a importância dos Cartórios de Registro Civil para os municípios gaúchos.

 

Em entrevista especial à Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio Grande do Sul (Arpen/RS), a ex-prefeita de Cristal e vice-presidente da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), Fábia de Almeida Richter, falou sobre a importância dos Cartórios de Registro Civil para os municípios gaúchos.

 

Fábia de Almeida Richter é também enfermeira, especializada em Saúde da Família, Saúde coletiva, Gestão Pública, Gestão Hospitalar e outros serviços de Saúde, com MBA em Gestão de Pessoas.

 

Confira a íntegra da entrevista:

 

Arpen/RS – Qual o objetivo da Famurs?

 

Fábia de Almeida Richter – O grande objetivo da Famurs é proteger os municípios identificando legislações, programas e ações dos outros poderes. Além de instrumentalizar as administrações municipais para questões técnicas, é uma instituição de força pela união e ela é a única no RS que tem todos municípios participando.

 

Arpen/RS – Como a Famurs é composta?

 

Fábia de Almeida Richter – São 27 regiões em todo estado, funcionando por representatividade, e assim todos participam de alguma forma. A região se reúne, propõem pautas e preocupações, e os presidentes das associações regionais vem para discussão ampliada na assembleia, que acontece, no mínimo, uma vez por mês. Após essa discussão, montam-se grupos de trabalhos ou câmaras técnicas, e naturalmente todos recebem as informações novamente via associações regionais. Possui uma Diretoria e um Conselho Fiscal, que são indicações dos partidos. Os presidentes são indicados sempre por partidos com maior quantidade de prefeitos eleitos.

 

Arpen/RS – Qual a importância dos Cartórios de Registro Civil para as cidades gaúchas?

 

Fábia de Almeida Richter – Os cartórios são instituições privadas, mas com relevância pública. Quando temos um cartório parceiro, muitas atividades em conjunto com as administrações municipais podem ser realizadas, como a regularização matrimonial de pessoas em vulnerabilidade, por exemplo. Estes serviços são importantíssimos para a obtenção de dados sobre a vida dos munícipes.

 

Arpen/RS – Qual a relevância do Registro Civil para os cidadãos?

 

Fábia de Almeida Richter – O Registro Civil garante a história de vida da pessoa, garantindo com isso sua identidade, portanto, é de extrema relevância para a sociedade. Como todos os serviços mudam conforme os municípios, alguns com maior ou menor flexibilidade de modo a construir algumas políticas públicas a favor da sociedade, outras em contrapartida nem sempre é fácil e são extremamente burocráticos e aristocráticos.

 

Arpen/RS – Como vê o avanço da tecnologia e a prática de atos eletrônicos pelos cartórios de Registro Civil em meio à pandemia?

 

Fábia de Almeida Richter – O avanço da tecnologia é natural e irreversível, assim como tudo e todos, é necessário andar nesse campo, a pandemia fez vários segmentos andarem a passos fortes e rápidos, e que bom ter acontecido isso nos registros, penso que muito ainda possa ser realizado com essas ferramentas.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Arpen/RS