Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

Arpen/SP promove Coquetel de lançamento da obra “Registro Civil e a 4ª Revolução Industrial”

Evento reuniu registradores, autores, coordenadores e membros do Poder Judiciário, entre eles o corregedor eleito, desembargador Fernando Torres Garcia.

 

Nesta quarta-feira (15.12), a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) promoveu o lançamento do livro “Registro Civil das Pessoas Naturais e a 4ª Revolução Industrial”, uma obra coordenada pelo desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP), José Renato Nalini, e pelo juiz Ricardo Scaff. O evento ocorreu na Enoteca Família Salton e contou com a presença de diretores da entidade, registradores de todo estado e importantes nomes do Poder Judiciário, entre eles o recém-eleito corregedor-geral de Justiça de São Paulo, desembargador Fernando Torres Garcia.  

 

O livro lançado compila artigos de diversos registradores sobre como a delegação extrajudicial do Registro Civil pode enfrentar e se adaptar às novas tecnologias que surgem. Nas palavras do coordenador da obra, José Renato Nalini, “é uma leitura interessante para quem pensa no Brasil de amanhã, e para quem queira participar dessa renovação do Registro Civil das Pessoas Naturais criando novas atribuições”. O juiz Ricardo Scaff frisou o papel democrático que o Registro Civil possui na sociedade brasileira e falou do principal desafio. “Nosso desafio hoje é encontrar outras atribuições para que o Registro Civil possa desempenhar outras tarefas, ajudando a enxugar o Estado”, comentou o juiz. 

  

Quem destacou a importância da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais de São Paulo (Arpen-SP), foi o corregedor-geral eleito no TJ/SP, desembargador Fernando Torres Garcia. Ele definiu a Associação “como uma das mais importantes, porque nos dias de hoje representa a verdadeira cidadania. É uma prestação de serviço inigualável”. Em seu discurso o magistrado falou sobre fazer uma gestão voltada à prestação social, visível e efetiva. Para ele, é o momento que as serventias extrajudiciais mais precisam exercer a cidadania esperada pela sociedade “e para isso, os Cartórios de Registro Civil serão fundamentais”, opinou.  

O evento ocorreu na última quarta-feira (16), na Enoteca Família Salton

 

O juiz auxiliar da Corregedoria-Geral do TJ/SP, Josué Modesto Passos falou sobre a importância do bom diálogo entre o Poder Judiciário e a função extrajudicial, bem como o convívio com a comunidade jurídica diante os desafios que surgem. Desafios estes que, para o juiz, estão muito bem representados na obra lançada. “É um momento de transformação, por vezes radical em todos os aspectos da vida social, e mais uma vez os serviços dos cartórios vão saber se renovar para enfrentar esses desafios, e terão ao seu lado o apoio do Poder Judiciário”, argumenta Passos.  

 

O juiz da 2ª Vara de Registros Públicos de São Paulo, Marcelo Benacchio, destacou o papel da Arpen/SP e dos oficiais que formam a instituição. “Temos oficiais, como os que estão aqui nessa obra, que são não só oficiais de registro civil, mas que são acadêmicos, são professores e pesquisadores em busca de transformar o Registro Civil, tanto na sua autonomia, na melhora do atendimento, como na qualidade das decisões, no aspecto da cidadania, e na independência funcional”. O juiz ressaltou a obra como a consolidação de todos esses pensadores e lembrou que, além do aspecto institucional do evento, é um local de ideias.  

O juiz auxiliar da corregedoria geral do TJ/SP, Josué Modesto Passos, o corregedor-geral de Justiça de SP, Fernando Torres Garcia, o juiz da 2ª vara de Registros Públicos de SP, Marcelo Benacchio, e o presidente da Arpen-Brasil, Gustavo Fiscarreli, prestigiaram o evento

 

Também discursou o presidente da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen/BR), Gustavo Renato Fiscarelli, citando os registradores de São Paulo como “muito especiais”. Ele destacou a qualificação dos oficiais que participam da obra e da importância do desembargador aposentado José Renato Nalini para as serventias extrajudiciais do estado de São Paulo.  

Fernando Torres Garcia, corregedor-geral de Justiça de SP, José Renato Nalini, desembargador aposentado do TJ/SP,  e Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil

 

Fiscarelli também agradeceu a presença do corregedor-geral eleito, Fernando Torres Garcia, e frisou a importância do diálogo do registro civil com o Poder Judiciário. “Podemos estar em um momento que, além do lançamento da obra, é de confraternização do Registro Civil junto ao Judiciário, após dois anos de distanciamento”. 

 

O livro “Tabelionato de Notas e a 4ª Revolução Industrial” está disponível para venda. Adquira aqui.

 

Veja todas as fotos do evento aqui.