Logo-Arpen-BR-Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Clipping – Revide – Com pandemia, taxa de natalidade registrou queda em Ribeirão Preto

Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que houve queda no número de partos e exames de pré-natal; para especialistas, insegurança impactou na decisão sobre maternidade

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, Ribeirão Preto registrou queda nas taxas de natalidade, com menos nascimentos e exames de pré-natal na rede de saúde.

Somente em janeiro de 2021, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, foram realizados 155 partos no município, uma queda de 76% em comparação com o mesmo mês do ano anterior, quando foram 665 partos na cidade. 

Em todo o ano 2020, também segundo os dados da Secretaria da Saúde, foram realizados 8.493 exames de pré-natal na rede municipal, uma diminuição de cerca de 3% em relação ao ano de 2019, antes da chegada do coronavírus. O total de partos realizados na cidade também caiu, de 8.073 em 2019, para  7.853 no ano passado.

Já um levantamento realizado pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) nos quatro Cartórios de Registro Civil de Ribeirão Preto mostra uma queda de 19,83% nos nascimentos em janeiro de 2021, primeiro mês após o período normal de gestação, desde a chegada da Covid-19 no Brasil.

A preocupação e a insegurança em relação à situação de saúde é um dos motivos para a queda. Silvana Quintana, ginecologista e obstetra de Ribeirão, diz que percebeu o aumento das dúvidas entre as pacientes. “A gravidez pode ter riscos e a mãe precisar internar, por exemplo, usar com oxigênio. Então, por conta da situação nos hospitais, começamos a aconselhar as mulheres a esperar, e todo esse impacto de medo e orientações levou a um represamento. As mulheres não pararam de engravidar, mas houve, sim, uma diminuição.” 

Bruna Infante, enfermeira obstetra da Luz do Nascer, equipe de parto domiciliar e hospitalar, também explicou que, como as gestantes fazem parte do grupo de risco para o coronavírus, muitas mulheres optaram por esperar a vacinação ou a melhora da pandemia. 

Apesar da percepção de especialistas, ainda não há pesquisas específicas sobre a relação da pandemia com a queda do número de partos. Mas, a recomendação dos especialistas é que a decisão sobre a maternidade nesse atual momento deve ser tomada com base em informações e conversas com profissionais.

“O que mais falta no nosso país é a informação. Nós mulheres temos o direito de fazer escolhas, e não engravidar apenas porque está chegando no seu relógio biológico, ou não engravidar por causa da pandemia. A questão é escolher com informação, buscando informações claras e de qualidade. Além de procurar profissionais aptos para acolherem e apoiarem suas escolhas, estando sempre buscando o autoconhecimento para começar essa linda caminhada” conclui Bruna.  

O portal Revide solicitou à Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto uma entrevista com um médico sobre os dados, mas não teve retorno até o fechamento da matéria.