Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

Em reunião ordinária, Arpen-Brasil anuncia a “Escola do Registro Civil” e a criação de novas plataformas

Os anúncios foram feitos durante a primeira reunião presencial de diretoria e presidentes estaduais de 2022 

 

Em reunião ordinária realizada nesta terça-feira (15), em São Paulo, a diretoria da Arpen-Brasil, na presença dos presidentes e representantes estaduais, apresentou os projetos e encontros internacionais agendados para o ano, o cronograma da entidade para 2022, a criação da “Escola do Registro Civil” e as implementações da “Arpen-Brasil Viagens” e do banco digital “RC Digital”. Também foram debatidas as mudanças com a chegada da nova carteira de identidade nacional e a MP do Sistema Eletrônico dos Registros Públicos, além da nacionalização do E-Proclamas. 

 

A “Escola do Registro Civil” foi a primeira pauta a ser apresentada. O projeto visa criar uma plataforma no site da Arpen-Brasil, para que escreventes, titulares, funcionários e público externo possam comprar um curso completo sobre registro civil, com diferentes níveis de conhecimento. Wilson Lewy, advogado e coordenador da escola de escreventes do CNB/SP, explicou que o projeto tem como principais objetivos a resolução de problemas práticos e garantia de que toda a classe tenha conhecimentos básicos sobre o registro civil.   

 

Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil, ressaltou que a entidade buscou professores em todos os estados, para que o conhecimento seja adquirido a partir das mais diversas realidades do país. A previsão é que a escola já esteja em ação em meados de agosto. 

 

Na sequência, a associação apresentou mais uma plataforma. Esta, voltada para o turismo. A “Arpen Viagens” começou ainda no XXVII Congresso Nacional de Registro Civil (Conarci 2021), em parceria com a Alfa Turismo – empresa que vai gerir a atividade. Os associados terão descontos expressivos na compra de passagens aéreas para seus destinos e benefícios exclusivos, como atendimento particular e tarifas diferenciadas nos parcelamentos. A novidade estará disponível em um novo menu do site da Arpen-Brasil, e a estimativa é que mais de 30 mil pessoas sejam atendidas, entre titulares, escreventes e demais funcionários. 

 

Projetos e encontros internacionais também foram pautados na reunião. Nos dias 20 e 21 de maio, Gustavo Fiscarelli e Andréia Gagliardi (diretora da Arpen-Brasil) vão à Coimbra, Portugal, representando a classe em um evento sobre o trabalho desenvolvido por serventias registrais e notariais, sendo responsáveis pelo painel sobre interoperabilidade do registro civil e seus desafios. “No exterior, nós somos referência em função das inovações dos últimos anos”, explicou Fiscarelli.

 

Luis Carlos Vendramin Júnior, vice-presidente da Arpen-Brasil, explicou que, em breve, será lançada a RC Digital – um banco digital do Registro Civil – que poderá ser utilizada por meio de aplicativo.  “A ideia surgiu da necessidade de reduzir custos, não apenas da intenção de ser mais moderno e tecnológico”, ressaltou. 

 

A nacionalização do E-Proclamas, plataforma digital que cumpre as exigências legais para as publicações dos editais de proclamas dos casamentos civis, também foi apontada durante o encontro. Idealizada pela Arpen-SP e replicada nos estados do Maranhão, Goiás e Paraná, a Arpen-Brasil trabalha na expansão para todo o país. Também foram feitos considerações e apontamentos à MP do Sistema Eletrônico dos Registros Públicos e a implementação da carteira de identidade nacional. 

 

Fala dos presidentes 

 

“O contato com os registradores tem que sempre estar ativo. Tratamos questões internas, ainda que a tecnologia tenha facilitado muito essa comunicação e, de fato, a gente se reuniu muito mais na pandemia. É uma oportunidade de debater pessoalmente questões importantes. Há também a troca entre amigos, um momento de distração e companheirismo, que sentimos muita falta durante a pandemia”, disse Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil, sobre a retomada das reuniões presenciais. 

 

O presidente do Recivil, Genilson Gomes, também falou sobre o encontro. “Esses encontros são muito válidos e espero que eles se repitam cada vez mais. Estando unidos, fazendo essa integração, conseguimos uma coesão e uma união na intenção de tornar o registro civil mais forte, além da oportunidade de aprimorar a nossa legislação com essa troca de experiências”, ressaltou. 

 

“A experiência que deixa essa pandemia é que conseguimos avançar ainda mais, principalmente na área tecnológica, visto que nos adequamos muito a isso e conseguimos implementar novas sistemáticas de atendimento em tempo recorde, para que ao final de tudo as pessoas pudessem ser atendidas da melhor forma”, projetou Devanir Garcia, presidente da Arpen-Maranhão. 

 

“A padronização dos serviços e a interação de todos os presidentes é de suma importância para todos, pois somos responsáveis pelo primeiro ato de cidadania de todos os cidadãos”, destacou Bruno Quintiliano, presidente da Arpen-Goiás. 

 

Marcos Roza, presidente da Arpen-Mato Grosso do Sul, destacou a importância da reunião e os projetos apresentados. “Para o Mato Grosso do Sul, a reunião é muito importante porque conseguimos captar todas as informações e repassar aos demais registradores, principalmente se tratando de um estado como o nosso, que é pequeno com um registro civil pouco desenvolvido na questão associativa. Essas informações trazem mais confiança para o associado e facilita para que sejam feitos trabalhos com maior excelência, praticidade e rapidez”, analisou.  

 

Quem também esteve presente ao evento foi o presidente da Arpen-Bahia, Daniel Sampaio. “A reunião de hoje foi bastante produtiva, pois tratamos questões bem sensíveis ao registro civil e pudemos compartilhar diferentes realidades estaduais. Espero que se mantenham as reuniões nesse formato e possamos superar os problemas e fazer os melhoramentos que precisamos para a nossa classe”, disse. 

 

“As reuniões nos permitem sempre um debate interessante e oportuno. Podemos expor nossas ações estaduais e ouvir as dos demais Estados. A troca de experiências é primordial para que o registro civil seja cada vez mais forte e coeso”, concluiu Karine Boselli, presidente da Arpen-São Paulo.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Arpen-Brasil