Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Irpen-PR oficializa a união de 192 casais no Dia do Sim

 

A última edição do Projeto Irpen na Comunidade realizou, entre os dias 20 e 23 de maio, seis casamentos coletivos, oficializando a união de 192 casais no Dia do Sim. A equipe do Instituto de Registradores de Pessoas Naturais do Paraná (Irpen-PR) viajou cerca de 1.630 quilômetros pelo estado, promovendo o sonho de centenas de paranaenses e visitando os cartórios dos mais diversos rincões do Paraná. 
 
A primeira cidade visitada foi Santa Cecília do Pavão, que tem como Oficial do cartório de Registro Civil Alceu Henrique Monteiro, titular da serventia há 44 anos. Monteiro destacou a importância do projeto e da atuação do Instituto nas cidades menores. “Eu acho essa iniciativa ótima, é uma ação que traz muita credibilidade aos cartórios e aos cartorários”, ressaltou. 
 
 
 
O casamento comunitário da cidade uniu 19 casais em uma cerimônia que contou com a presença de diversas autoridades, além de uma orquestra que executou a marcha nupcial ao vivo e um bolo de 4 metros de comprimento. Para a noiva Maiara Cristina da Silva, o Dia do Sim traz oportunidade para aqueles que não têm condições de arcar com os custos do casamento, além de ajudar a legalizar a situação dos casais. “Muitas pessoas não dão importância para o casamento civil, pois não podem pagar, então quando aparecem essas oportunidades muitos aproveitam,” afirmou.
 
Na ocasião, o presidente do Irpen, Arion Toledo Cavalheiro Júnior, explicou o objetivo do projeto e destacou a importância do registro civil para a sociedade. “A certidão de nascimento é o primeiro documento de todos nós e dá cidadania a todos os brasileiros, além de lhes dar um nome. É através dela que eles conseguirão obter todos os documentos de suas vidas”, salientou. O prefeito da cidade, José Sérgio Juventino, ressaltou a relevância que a ação trouxe para os munícipes de Santa Cecília do Pavão. “Essa ação dos cartórios é a realização do sonho de pessoas que sempre quiseram se casar e legalizar seu relacionamento perante a sociedade. O Irpen veio realizar o sonho de 19 casais, que às vezes por motivos econômicos não tiveram essa oportunidade,” finalizou.
 
 
 
O município de São Sebastião da Amoreira recebeu a equipe do Irpen na manhã do dia 21, onde 22 casais oficializaram suas uniões. A diretora do Irpen e Oficial do Registro Civil de Colombo, Elizabete Vedovatto, destacou o papel da registradora Maria Aparecida Braga Soares na realização da cerimônia. “Sem o sim da oficial não teria sido possível realizar esse casamento. Ela foi a primeira a dizer sim para esse projeto,” salientou. Elisabete também falou sobre os benefícios da oficialização da união e da importância da família. “Não há nada melhor do que após um dia de trabalho voltarmos pra casa e termos nossa família nos esperando”, destacou. A noiva Viviane Cristina Machado aprovou a ação, principalmente pela facilidade que o cartório móvel traz à população. “Foi muito bom o Irpen ter trazido esse projeto até nós, pois temos muita dificuldade de acesso aos cartórios por morarmos longe da cidade,” destacou. Viviane disse também que ela e o companheiro sentiram a necessidade de legalizar a união após oito anos de convivência. “Eu e meu marido já temos uma filha de 6 anos e queremos ensiná-la a fazer as coisas da maneira correta,” afirmou.
 
 
O vereador da cidade, Isaque Rosa de Almeida, aproveitou a oportunidade para oficializar sua união de 32 anos com a ex-vereadora, Sílvia Maria de Giuli. “Nós já pensávamos em nos casar e ficamos muito felizes com essa oportunidade de nos unirmos juntamente com outras pessoas da comunidade,” afirmou o vereador. O pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, José Valdecir Verdure de Jesus, se disse surpreso pela iniciativa. “Gostaria de agradecer ao Irpen por essa ação. Fiquei entusiasmado em saber que alguém está preocupado com os casais e com o casamento, pois eles são a célula máster da sociedade, e não existiria uma sociedade saudável se não houvesse o casamento.” 
 
 
 
A terceira cidade a receber o projeto foi Assaí, onde o Oficial do Cartório de Registro Civil, Antenor Henrique Monteiro Filho recebeu a equipe do Irpen com alegria, enaltecendo sua atuação junto aos cartórios. “Logo quando a lei da gratuidade foi aprovada pensei que os cartórios de registro civil não iriam sobreviver, mas a criação dessa instituição foi uma das melhores coisas que poderiam ser feitas pelo registro civil,” disse. O Oficial também destacou a relevância da ação social. “O Irpen na Comunidade só aumenta a credibilidade dos cartórios perante a população. Muitas pessoas estão incrédulas por conseguirem se casar de graça, pois ao chegarem ao meu cartório perguntando qual era o valor para se casarem, achavam muito caro e não oficializavam suas uniões”, finalizou. 
 
 
A cerimônia de casamento coletivo uniu 84 casais em uma grande festa com direito a um jantar e lembrancinhas ao final da celebração. O presidente do Irpen falou aos casais que muitas vezes eles encontrarão dificuldades no decorrer do relacionamento, mas que devem ter sensatez para superar os obstáculos juntos. “A aliança que vocês usam é um círculo perfeito, que todos sabemos que existiu um começo em sua fabricação, mas não enxergamos o seu fim. Desejo que o casamento de vocês seja assim, perfeito e sem fim,” afirmou.
 
 
Foto: Prefeitura do Município de Assaí
 
Na manhã do dia 22 de maio foi a vez da cidade de Alto Paraná receber o Dia do Sim, onde 49 casais contraíram matrimônio em uma grande festa com direito à chuva de arroz ao final da cerimônia. Para o noivo Marcos Alexandre dos Reis, esse foi o dia mais feliz de sua vida. “Após 5 anos de convivência, hoje estamos dando um grande passo juntos. É a concretização de um sonho, pois para nós legalizar nosso relacionamento é essencial”, afirmou. A juíza de Direito da Comarca de Alto Paraná, Rita Lucimeire Machado Prestes, vê o projeto Irpen na Comunidade como uma forma de levar cidadania a todos os cidadãos paranaenses. “O registro civil é o que dá existência para uma pessoa, pois sem o registro de nascimento a pessoa praticamente não existe para o Estado, não tendo a proteção do mesmo,” aludiu. Para a juíza, o casamento civil vai muito além de um momento de emoção na vida do casal. “As pessoas só percebem a importância da certidão de casamento quando a união deixa de existir, por motivos de óbito ou separação, pois na hora de buscar seus direitos os que não estão legalmente casados têm dificuldades em assegurar certos benefícios, tendo que recorrer ao Judiciário, o que demora um certo tempo”, afirmou.
 
 
 
A cidade de Amaporã foi o quinto município a receber o Dia do Sim nessa edição do Irpen na Comunidade. Com a presença de diversas autoridades, nove casais uniram-se em meio a familiares e amigos. Mauro Lemos, prefeito da cidade, destacou a atuação social do Irpen no Estado do Paraná. “É uma atitude muito relevante para a nossa comunidade e para todas as outras nas quais esse projeto tem sido realizado. Nós, representantes de municípios, só temos que agradecer a atitude do Irpen por nos proporcionar essa cerimônia maravilhosa,” relatou. 
 
Durante a cerimônia, Arion Cavalheiro falou sobre os casais que estavam regularizando suas uniões após alguns anos de convivência. “Muitos de vocês estão dizendo o segundo sim hoje e isso é uma coisa maravilhosa, pois significa que o relacionamento de vocês deu certo. Não há sentimento melhor do que ouvir do companheiro após anos que ele ainda deseja estar com você,” destacou. Para a juíza de Direito da comarca de Paranavaí, Eveline Soares dos Santos, a realização dos casamentos é uma forma de brindar a comunidade. “Esse projeto é um grande presente pra sociedade, por dar a oportunidade de regularizarem sua situação civil perante a justiça e serem reconhecidos pela sociedade. Dessa união decorrerão vários outros direitos que farão com que os casais sejam melhores atendidos a partir dessa regularização,” salientou.
 
 
 
O último casamento coletivo dessa edição do Irpen na Comunidade foi realizado no dia 24 na cidade de Nova Aliança do Ivaí, segunda menor cidade do estado, que tem como Oficial designado do cartório de Registro Civil, o ex-presidente e diretor do Irpen, Dante Ramos Júnior. O atual presidente do Irpen, Arion Cavalheiro, enalteceu a participação do registrador em todo o processo de criação do Instituto. “O Irpen é o que é hoje graças ao trabalho que o Dante desenvolveu. Ele foi um dos precursores dessa associação, uma pessoa que batalhou e batalha até hoje e que desenvolveu um trabalho admirável,” aludiu.  O diretor do Irpen agradeceu as palavras do presidente e destacou que o casamento não traz apenas direitos às pessoas, mas que eles também têm deveres como cidadãos. “Quando trata-se de cidadania fala-se muito dos direitos e esquece-se dos deveres. Quero lembrá-los que a cidadania é uma via de mão dupla, todos precisam fazer sua parte dentro da comunidade,” finalizou.    
 
Na ocasião, nove casais se uniram em meio a familiares e amigos, com direito a uma chuva de papel ao final da cerimônia.