Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Metrópoles – Casamentos homoafetivos aumentaram 52% no Distrito Federal em 2021

Número são retirados dos cartórios brasilienses. Foram 385 celebrações entre janeiro e outubro de 2021 

 

Com 385 celebrações entre janeiro e outubro de 2021, casamentos entre pessoas do mesmo sexo aumentaram 52% em relação ao ano passado no Distrito Federal. Em 2020, ocorreram 253 uniões homoafetivas. Os dados são dos cartórios brasilienses e constam no Portal da Transparência do Registro Civil. 

 

Em junho de 2020, por exemplo, foram 22 casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo, enquanto, em 2021, o número mais do que dobrou, passando para 47. 

 

Para a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Brasil (Arpen-BR), o avanço da vacinação contra Covid-19 e a diminuição de mortes causadas pela doença podem explicar o aumento dos casamentos. Com as pessoas se sentindo mais seguras, foi possível retomar os planos deixados de lado temporariamente por causa do vírus. 

 

“Em casamentos, geralmente as pessoas marcam uma reunião familiar, uma festa, por menor que seja. As restrições e possíveis perdas de familiares durante a pandemia podem ter ocasionado adiamento”, explicou o diretor da Arpen Brasil, Paulo Henrique de Araújo. 

 

“Foi uma situação excepcional e, agora, com a chegada da vacinação, a queda de óbitos e com as pessoas aprendendo a conviver com o vírus, achamos que é um retorno aos planos”, sintetizou. 

 

De modo geral, o número de casamentos, incluindo os heterossexuais, cresceu este ano. Os registros em cartórios apontam um crescimento de 44,6% entre janeiro e outubro de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado. Nos 10 primeiros meses deste ano, foram realizadas 17.292 celebrações civis, frente a 11.953 matrimônios realizados no ano passado. 

 

Para Paulo, os últimos dois meses de 2021 devem registrar ainda mais celebrações, pois, tradicionalmente, essa época do ano tem mais celebrações. Isso ocorre porque dezembro coincide com as férias coletivas de trabalhadores, o recesso escolar das crianças e o recebimento do décimo terceiro salários, sendo o período ideal para cerimônias e viagens de lua de mel. 

 

“A partir de outubro, as pessoas começam a procurar os cartórios. Com certeza, dezembro vai ser maior. Além de existir a demanda reprimida, tem a vontade das pessoas de se reencontrar”, analisou o diretor da Arpen. 

 

Divórcios 

O aumento nos casamentos acontece após um período de queda expressiva e aumento de divórcios em 2020, acredita-se que devido à convivência forçada imposto pela quarentena aos casais. “Além da convivência forçada, outra característica é que, durante a pandemia, as pessoas resolveram muitas situações pendentes. Por exemplo, testamentos aumentaram, as pessoas decidiram resolver a vida, mesmo que depois da morte, a mesma coisa aconteceu com os divórcios, as pessoas decidiram se resolver”, ponderou Paulo Henrique. 

 

Fonte: Metrópoles