Logo Arpen BR Horizontal

Ouvidoria

Home / Comunicação

Notícias

Nomes de filhos de influencers e bíblicos são os mais registrados no Brasil em 2022

Segundo a Arpen-Brasil, ‘Maria Alice’ e ‘Gael’ foram os nomes que tiveram maior crescimento comparado a 2021; ‘Miguel’ ficou na liderança pelo segundo ano consecutivo

 

As redes sociais desbancaram até a hegemonia da Bíblia na hora de as famílias escolherem os nomes de suas crianças no Brasil. Se antes eram corriqueiros os nomes de anjos (e seus correspondentes femininos), como “Gabriel”, “Rafael”, ou de santas, como “Bárbara” e “Ana”, agora os preferidos dos pais têm uma semelhança: são nomes de filhos de influenciadores digitais.

 

Segundo a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), o nome mais registrado no País em 2022 ainda é bíblico: “Miguel” segue na liderança pelo segundo ano consecutivo. No total, 26,9 mil bebês receberam esse nome dos pais. Entre as meninas, no entanto, a preferência foi por “Maria Alice”, nome dado pela influencer Virgínia Fonseca à sua filha. Ao todo, 24 mil crianças foram registradas com esse nome.

 

Em comparação aos registros realizados em 2021, os nomes que tiveram maior crescimento foram “Maria Alice” e “Gael” — nome dado pelo youtuber Christian Figueiredo a seu filho. O primeiro desbancou Helena da liderança de nomes femininos, já o segundo assumiu a vice-liderança do ranking geral com 25,2 mil registros.

 

Para o presidente da Arpen-Brasil, Gabriel Renato Fiscarelli, é natural que as redes sociais comecem a ganhar espaço na decisão das pessoas. “Vivemos em um tempo de grande dinâmica social e muito influenciados pelas novas personalidades do mundo digital, que acabam ditando gostos e preferências dos brasileiros, e influenciando gostos e comportamentos”, disse.

 

Segundo a associação, também há uma pequena alteração da preferência das famílias em relação aos nomes bíblicos. Se antes a Igreja Católica parecia ter a maior influência — já que eram comuns os nomes de anjos, santas e profetas; agora, os prediletos têm uma maior identificação com a cultura judaica, como “Ravi”, “Noah”, “Theo”, “Liz”, “Eloá” e “Isaac”.

 

Os dados completos serão publicados nesta terça-feira, 20, no Portal da Transparência do Registro Civil. A plataforma reúne informações de todas as 5.570 cidades brasileiras. Para os curiosos (e pesquisadores), o site permite que os dados sejam filtrados por ano, região do País, estados e municípios. Além disso, é possível segmentar por nomes simples e compostos.

 

Veja os nomes mais registrados no Brasil

 

Geral (número de registros)

Miguel (26.941)

Gael (25.252)

Maria Alice (24.019)

Arthur (23.440)

Helena (22.202)

Heitor (20.694)

Alice (20.391)

Theo (19.207)

Laura (17.011)

Davi (16.858)

 

Masculinos

 

Miguel (26.941)

Gael (25.252)

Arthur (23.440)

Heitor (20.694)

Theo (19.207)

Davi (16.858)

Samuel (15.791)

Bernardo (15.659)

Gabriel (14.762)

Ravi (14.486)

 

Femininos

 

Maria Alice (24.019)

Helena (22.085)

Alice (20.293)

Laura (16.953)

Maria Cecilia (11.839)

Cecilia (11.494)

Maite (11.183)

Maria Clara (10.781)

Heloísa (10.712)

Valentina (9.987)

 

Fonte: Estadão