Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

22 de Abril de 2020

Clipping – G1 - Cartórios ampliam regime de plantão para atender alta demanda de registro de óbito em Manaus

Fonte: G1

A Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais do Brasil (Arpen/Brasil) informou, neste domingo (19), que aumentou o número de Cartórios disponíveis em regime de plantão, em Manaus, devido a alta demanda pelo serviço de registro de óbito neste fim de semana. De acordo com boletim divulgado nesta segunda-feira, o Amazonas já registra 2.160 casos confirmados da Covid-19, com 185 mortes (156 apenas em Manaus).

De acordo com a entidade representativa dos Cartórios que realizam os atos de registros de nascimentos, casamentos e óbitos em todo o País, estão disponíveis em regime de plantão os cartórios do 6º e 8º ofícios.

A entidade orienta que é necessário o comparecimento de apenas um familiar (declarante) para a realização do registro, e que muitas famílias estão comparecendo em grupos de três a quatros pessoas, sendo necessário o controle efetivo de entrada de pessoas na unidade para se evitar aglomerações neste momento de pandemia causada pelo novo coronavírus.

A certidão de óbito, documento essencial para a realização do sepultamento, é emitida no ato pelos Cartórios de Registro Civil de Manaus. Para realizar o registro é necessário o atestado de óbito – emitido pelo médico -, os documentos pessoais do falecido e o RG do declarante do óbito.

A presidente da Arpen-AM, Maria das Graças de Miranda Sales, informou que há a previsão de que uma terceira unidade integre os plantões caso a demanda siga alta. O regime de plantão de unidades em Manaus obedece ao estipulado pelo Provimento nº 260/2015 da Corregedoria Geral da Justiça do Amazonas (CGJ/AM).

Contêineres frigoríficos foram instalados no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, para comportar a alta demanda de caixões que estão sendo enviados de hospitais públicos da capital, muitos de vítimas do novo coronavírus. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram filas de carros de funerárias aguardando para sepultamento de pessoas.

Dezenas de covas foram abertas no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, localizado no bairro Tarumã, em Manaus, para atender o aumento na demanda provocado pelas mortes por Covid-19. Segundo informações da prefeitura, desde março, houve um acréscimo de aproximadamente 50% na demanda.

A prefeitura informou ao G1 que o cemitério municipal passava por uma ampliação da área de sepultamento mesmo antes da pandemia causada pelo novo coronavírus. No entanto, a abertura das covas se deu à medida que o número de mortes no estado começou a crescer.

Por conta do crescimento avançado de casos de contágio, além das mortes, o governo prorrogou o período de estado de calamidade pública no Amazonas por mais 180 dias. Outro decreto estadual também mantém paralisados, até o dia 30 de abril, os serviços não essenciais.

O Governo do Amazonas também realizou a instalação de containers frigoríficos em unidades de saúde de Manaus, após a repercussão de um vídeo gravado dentro do Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, na Zona Leste de Manaus, que mostra corpos com suspeita da Covid-19 espalhados ao lado de pacientes internados.

Durante coletiva de imprensa, na sexta-feira (17), a FVS também anunciou que todos os bairros de Manaus já confirmaram casos do novo coronavírus. A maior incidência de casos na capital amazonense está nos bairros Alvorada, na Zona Centro-Oeste, Parque Dez de Novembro, na Zona Centro-Sul e Cidade Nova, na Zona Norte.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Pinto, comentou que os casos também estão aumentando expressivamente nas Zonas Leste e Norte da cidade.

"Nota-se que há uma dispersão do vírus em Manaus. Temos o vírus em todos os bairros. Mas vemos também que há uma disseminação maior do vírus pelas Zonas Norte e Leste da cidade. Estamos começando a ver isso, inclusive com o aumento de atendimentos expressivo em todas as unidades de saúde que atendem essas regiões", ressaltou.

No gráfico, as áreas de cores mais claras são as que apresentam menor incidência da doença. As cores avermelhadas representam os bairros com maior registro no número de casos do novo coronavírus.

A diretora-presidente disse, ainda, que nas próximas quatro semanas o quadro se tornará pior. Para Rosemary, a a maneira mais eficaz para evitar a propagação do vírus é a população aderir ao isolamento social.

"Nós não temos como estimar quantas pessoas estão nas ruas. A única forma de não pegar Covid-19 é ficando em casa. Para evitar a explosão do número de casos e o aumento do número de óbitos é fazer a nossa parte. Fazer a nossa parte significa ficar em casa”, concluiu.

Coronavírus no Amazonas

O número total de casos confirmados do novo coronavírus no Estado chegou a 2.160, segundo a última atualização feita pela FVS-AM, nesta segunda-feira (20). De acordo com a FVS-AM, 1.772 são de Manaus e 388 em municípios do interior. O número de casos confirmados em Manacapuru continua subindo e já chega a 201.

O boletim aponta, ainda, que 1.165 pacientes estão em isolamento social ou domiciliar, ou seja, apresentam sintomas mais leves da Covid-19. Outros 635 pessoas estão fora do período de transmissão da doença.


Fonte: G1

Confira Também